minervapop

domingo, 27 de fevereiro de 2011

OSCAR 2011

A gente já escreveu outras vezes aqui no blog que não nos ligamos muito nesta história de Oscar. Só que eu confesso que já fui viciado na coisa. Durante anos eu acompanhava toda a expectativa pelos indicados, prestava muita atenção nas principais apostas e assistia a chatíssima cerimônia do começo ao fim.

Desencanei disso já faz algum tempo. Só que também não dá para ignorar o evento e reduzí-lo a algo sem importância e meramente comercial. Soa pedante, né?

Este ano voltei a me interessar mais sobre a premiação. Talvez pelo fato de ter visto praticamente tudo o que está na disputa, mas principalmente porque entre os finalistas estão quatro filmes dos quais eu gostei muito mesmo.

São eles: A Origem (post aqui), A Rede Social (post aqui), Cisne Negro (post aqui) e 127 Horas (post nos próximos dias).

Logo depois que saiu a lista dos indicados, a "A Rede Social" de David Fincher era tido como favorito, o que eu achei normal. Porém de lá para cá, as apostas dão conta que o provável vencedor do prêmio de melhor filme seria na verdade "O Discurso do Rei", filme inglês do diretor Tom Hopper.

Gostei muito de "O Discurso do Rei". É um filme muito bonito. Até aproveito a ocasião para recomendá-lo, já que não vou escrever um post específico sobre ele. Para aqueles que valorizam atuações soberbas e perfeitas, é um deleite. Os atores dão um show. Colin Firth (provável vencedor do Oscar), Helena Bonham Carter e Geoffrey Rush estão sensacionais.

Mas definitivamente este não é o meu filme predileto.

O resultado sai daqui a pouco, mesmo assim faço um exercício com minhas preferências pautadas em critérios absolutamente pessoais.

Filme:
1) Cisne Negro
2) A Rede Social
3) A Origem
4) 127 Horas
5) Ilha do Medo (nem está indicado)

Diretor:
1) Chris Nolan por "A Origem" (nem está indicado)
2) Martin Scorsese por "Ilha do Medo" (nem está indicado)
3) David Fincher por "A Rede Social"
4) Danny Boyle por "127 Horas" (nem está indicado)
5) Darren Aronofsky por "Cisne Negro"

Ator e Atriz:
Gostei tanto destas duas atuações e achei que eles sobraram de uma forma que nem vale fazer lista.
1) Colin Firth por "O Discurso do Rei"
1) Natalie Portman por "Cisne Negro"

Abaixo o trailer do vencedor (?).

Sandro



BEATLES - You Got To Hide Your Love Away

Somente pra desejar um bom Domingo.

Anselmo

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

BOSS IN DRAMA - Trabalho competente de Péricles Martins.


Um amigo do trabalho, que conhece muito de “som eletrônico”, perguntou num dia desses: Conhece Boss in Drama? Põe lá no Blog, que o trabalho é bom!

A partir daí comecei a pesquisar sobre o assunto. Trata-se de Péricles Martins , um jovem produtor que faz um som dançante, divertido e pop, com referências que passeiam pela disco clássica, french house, italo e R&B. Tem estilo próprio e consegue atingir várias camadas de ouvintes, desde as bases mais populares até os mais “inteirados”.

Péricles Martins teve sua primeira aparição de impacto na abertura do festival Motomix de 2006, na época ainda parte do extinto projeto de electro-rock Gomma Fou. Seu projeto Boss in Drama começou em 2007, e desde então vem chamando a atenção de muita gente importante, como o Justin Timberlake.

O projeto rendeu também uma turnê de sucesso na Alemanha em 2009, matéria pra DJ MAG Brasil, foi mencionado na revista americana URB, indicação na MTV Video Music Brasil na categoria “Melhor Artista Eletrônico”, apresentação ao vivo no prêmio Multishow 2010. Nesse mesmo ano assinou contrato com o selo Vigilante, braço da maior gravadora independente do Brasil, Deckdisc, o que resultou no primeiro single oficial - 'Favorite Song' - e, em breve, lançará o aguardado álbum de estreia, previsto para o começo de 2011, só com produções próprias.

A última do Péricles foi aparecer no BBB11, claro que isso faz parte da divulgação, mas desejo melhor sorte da próxima vez.

Quem tiver novidades sobre Boss in Drama, manda pra gente publicar no Blog. Por enquanto seguem vídeos.


Anselmo




segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

PLANETA FANTASTICO - Obra Prima de René Laloux


Todos os que gostam de obras de ficção-cientifica precisam conhecerer Planeta Fantástico (La Planète Sauvage), animação de 1973 realizada em conjunto entre França e a então Checoslováquia, que recebeu o prêmio especial do júri do Festival de Cannes no mesmo ano. Inspirado na obra “Oms en série (Oms by the Dozen) de (Stefan Wul – 1957).

A direção ficou por conta de René Laloux (1929-2004), o mestre francês da animação - autor de "O Planeta Selvagem" (1973) e "Os Mestres do Tempo" (1982) , que também trabalhava com pintura e literatura.

Nascido em Paris, René Laloux chegou à animação como autodidata. Começou por exercer psiquiatria, tendo trabalhado, nos anos 60, na Clínica de Cour Cheverny, dirigida por Félix Guatarri - foi a partir das teorias deste sobre a ergoterapia que Laloux realizou a sua primeira curta-metragem, "Les Dents du Singe" (1960), utilizando como "atores" os pacientes daquela clínica. O seu último filme, o curta "Comment Wang-Fo Fut Sauvé" (1987), é uma adaptação de um texto de Marguerite Yourcenar.

O filme se resume no seguinte: “No planeta Yagam vivem humanóides chamados de Oms, que são escravos (ou animais de estimação) dos Draggs, uma raça de gigantes com mais de dez metros de altura, olhos vermelhos e pele azul. O planeta é um lugar indefinido onde os homens parecem insetos aos olhos dos Draggs. Terr, um Om, recebe educação e se revolta contra os gigantes, dominadores no planeta. Assim, os Oms rebelam-se e descobrem o ponto fraco de seus dominadores”.

A trilha sonora do filme Fantastic Planet foi composta pelo pianista de jazz, arranjador e compositor francês Alain Goraguer (20 de agosto de 1931), o que contribuiu para a atmosfera do fime.

Respeitando a arte “datada” do filme, é uma obra que merece ser visto.
 
Anselmo







quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

CISNE NEGRO - FILME DE BAILARINA OU TERROR PSICOLÓGICO?


Ainda que tardiamente, usarei este espaço para indicar um filme imperdível que está em cartaz nos cinemas. Como já está na segunda semana de exibição e esta época do ano é repleta de lançamentos, vale a pena correr para assistí-lo logo. Talvez ele até retorne as telas no mês que vem, caso ganhe o Oscar de melhor filme, o que não é impossível de acontecer.

Abri o texto logo com esta recomendação explícita pelo seguinte. Existe o perigo de que Cisne Negro, numa primeira e superficial impressão, passe meio desapercebido por muita gente. Em linhas gerais as sinopses informam que o filme é sobre uma dedicada bailarina que mora com uma mãe dominadora e concorre para encenar o papel principal em "O Lago dos Cisnes".

E aí é preciso deixar algumas coisas claras. Cisne Negro definitivamente não é um filme sobre dança. Cisne Negro não tem nenhuma veia romantica por conta do ballet. Cisne Negro não é um filme fácil. Cisne Negro não tem um final feliz.

Cisne Negro é ótimo.

A personagem Nina é mesmo muito dedicada, chega a ser obcecada pela perfeição. Parte disso pode ser debitado da mãe, uma ex-bailarina que transita da super proteção e torcida pela filha para a inveja em relação ao sucesso da mesma.

Tecnicamente perfeita, Nina seria a escolha óbvia para se tornar a grande estrela da temporada, substituindo a amargurada Beth MacIntyre (Winona Ryder quase irreconhecível). A produção escolhida pelo diretor Thomas Leroy (o excelente Vicent Cassel) é "O Lago dos Cisnes" de Tchaikovski. Considerando que o papel principal exige a interpretação tanto do Cisne Branco quanto do Cisne Negro, Thomas tem dúvidas em escolher Nina para o papel, pois entende que sua técnica apurada atenderia somente ao personagem Cisne Branco. Nina é pressionada ao extremo para se entregar, se soltar, se libertar e conseguir obter o resultado esperado como Cisne Negro. Ela deve lidar com sua falta de sensualidade, sua frieza e sua energia sexual trancafiada dentro de si mesmo.

No meio desse desafio, ainda aparece uma rival, Lily (em boa atuação de Mila Kunis) que completa o quadro de transtorno de Nina e a desestabiliza por completo.

Com uma excelente direção de fotografia (indicada ao Oscar) e mergulhando fundo no drama psicológico de Nina (Natalie Portman ganhará o Oscar), o diretor Darren Aronofsky (também indicado) nos deixa inquietos. Mesmo não havendo cenas de ação, o espectador é atingido em cheio com vários momentos de aflição na poltrona.

Recomendo muito. Principalmente que o filme seja visto no cinema. Se você for baixá-lo na internet para assistir em casa, grande parte desta atmosfera aflitiva será perdida. Vale a pena ver na telona.


Sandro




terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

DEAD SPACE 2 - A VOLTA DE ISAAC CLARK.


Acho que nunca comentei aqui no Blog, mas se tem uma coisa que gosto demais é videogame, particularmente os que posso jogar com meu PS3. Pra mim é terapia, quanto mais bem produzidos, mais “viajo na parada”. Meus preferidos são os com temas de survival/action, e nessa linha o que recomendo é o Dead Space 2.

Desenvolvido pela Visceral Games e publicado pela Electronic Arts para o PlayStation 3, Xbox 360 e Microsoft Windows, é um Survival horror videogame de tiro em terceira pessoa. Continuação de Dead Space, essa nova aventura tem um modo multiplayer onde humanos e Necromorphs podem jogar online.

A Saga de “Dead Space 2” se passa após três anos dos acontecimentos do jogo original, agora na estação espacial chamada Sprawl, construída ao redor dos fragmentos de uma das luas de Saturno,. Essa estação está dividida em diversas áreas diferentes, proporcionando muitas fases no jogo, incluindo zonas residenciais, escolas, igrejas e lojas.

O personagem Isaac Clark agora pode saltar através do espaço, alterando a direção enquanto flutua. O jogo tem mais dialogo e o enredo é visceral, adrenalina pura. Pode pegar, que garanto.

Anselmo


quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

PJ HARVEY LANÇA "LET ENGLAND SHAKE" - JÁ VALE VOTAR NO DISCO DO ANO?

Pois é. Fanatismo é mesmo uma desgraça... Ainda bem que este blog pessoal nos permite exagerar nos posts e títulos.

Claro que é muito precoce cravar um disco como o melhor de 2011 quando nem chegamos na metade de fevereiro. Ainda mais num ano em que pesos pesados do calibre de REM, Strokes, Foo Fighters, Arctic Monkeys, Queens of the Stone Age e Radiohead devem lançar trabalhos novos.

Soma-se a isso o fato de eu ter escutado "Let England Shake" apenas três vezes (por enquanto). Mas devo dizer que achei sensacional o novo disco da musa PJ Harvey.

O sucessor do ótimo "A Woman a Man Walked By" de 2009, lançado em parceria com John Parish (participa deste também) está saindo do forno!

PJ Harvey não guarda estilo. Somos presenteados com discos que tem pegadas absolutamente diferentes, mas a qualidade sempre ali. É padrão, a mulher não tem um disco ruim.

Não vou gastar tempo elogiando muito este "Let England Shake". Apenas recomendo que o album seja ouvido. Até amanhã, estará disponível na íntegra neste link. Para quem quiser tê-lo, procure nos comentários que eu deixei um presente...

Abaixo coloquei o vídeo para "The Last Living Rose" e o áudio para "Written on the Forehead".

Para quem quiser conhecer mais sobre minha admiração, eu já escrevi sobre a trajetória dela (leia aqui) no blog. Seu som é para se apaixonar...



Written On The Forehead by pjharvey

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

KYUSS LIVES! - SPACE ROCK COMES BACK!


A antiga banda de Josh Homme (Queens of the Stone Age), Kyuss voltou à ativa. Formação atual composta pelo vocalista John Garcia, o guitarrista Bruno Fevery, o baixista Nick Oliveri e o baterista Brant Bjork, estão na estrada com o nome de Kyuss Lives!.

Lenda no final dos anos 80, o Kyuss lançou quatro álbuns de estúdio com relativo sucesso, porém terminaram as atividades em 1995. Existe a possibilidade do lançamento de um novo material, é torcer e esperar.

Anselmo




terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

TEATRO EM CONEXÃO: workshop do Teatro Para Alguém e Elias Andreato‏



Quem acompanha nosso Blog sabe que a bastante tempo estamos acompanhando o “Teatro Para Alguém” (www.teatroparaalguem.com.br) da Renata Jesion (atriz, autora e diretora). O que vem a ser um grupo de teatro que pesquisa e produz espetáculos via internet de forma totalmente inovadora e gratuita, permitindo ao internauta visualizar espetáculos de qualquer lugar e a qualquer hora.

Recebemos um material referente a um novo projeto do Teatro Para Alguém junto com o ator Elias Andreato chamado Teatro Em Conexão, o qual temos o prazer de divulgar o material na integra:

Teatro Para Alguém e o ator Elias Andreato ministram workshop sobre a linguagem do teatro e do cinema na Oficina Cultural Oswald de Andrade.

O Teatro Para Alguém participará do workshop Teatro Em Conexão, entre os dias 15 e 18 de fevereiro, para mostrar de que forma, ao longo de dois anos de vida, trabalha mesclando a linguagem teatral com a linguagem cinematográfica, ao mesmo tempo em que usa a internet como veículo principal para massificar a distribuição do produto teatral para um público global.

Após o diretor Elias Andreato demonstrar e abrir seu processo de trabalho para os participantes na Oficina, será a vez dos idealizadores do Teatro Para Alguém, Renata Jesion e Nelson Kao, demonstrarem o que lhes motivam juntar estas linguagens, de que forma filmam as peças exibidas pelo site, transmitem ao vivo para a internet gratuitamente, democratizam a cultura e ainda colocam a disposição todos os artistas envolvidos para um bate-papo com o internauta no momento da transmissão (através de um chat) e por fim arquivam eternizando toda a experiência alcançada.

O evento prático será realizado na Oficina Oswald de Andrade, e contará com recepção do sinal para as outras oficinas culturais onde também poderão participar do evento através do chat de cada computador disponível em cada uma das demais oficinas. Além disso, será feita a transmissão ao vivo pelo site do Teatro Para Alguém (www.teatroparaalguem.com.br) de todo o evento. O público alvo do workshop são atores iniciantes, estudantes, profissionais na área das artes cênicas, cinema, tecnologia e interessados em geral.

Programação


Dia 15 de fevereiro - Ensaio aberto de Édipo (Workshop), por Elias Andreato.
Horário: 18h às 22h30
Descrição: Elias Andreato mostrará um ensaio aberto de seu novo trabalho. O Teatro Para Alguém filmará o ensaio e transmitirá ao vivo na Internet, mostrando de que forma vem transmitindo peças de diversas companhias pela internet.
Convidados: Clovys Torres, Eucir de Souza, Fábio Herford, Nilton Bicudo, Romis Ferreira, Tânia Bondezan e Elis Andreato ministra o ensaio.


Dia 16 de fevereiro - Fundamentos teóricos e práticos na Cultura Digital
Horário: 19h30 às 21h30
Descrição: Debate
Convidados: Cláudio Prado (Cultura Digital), Rachel Rosalen (Artes Eletrônicas), Fábio Ferreira (Diretor Teatral), Skowa. Nelson Kao e Renata Jesion como mediadores.

Dia 17 de fevereiro - Ensaio aberto de Vozes Urbanas, pelo Grupo Teatro Para Alguém
Horário: 18h às 22h30
Descrição: O Grupo Teatro Para Alguém realizará um ensaio aberto (workshop) de seu novo espetáculo, Vozes Urbanas. Com transmissão simultânea para a platéia presencial e virtual, o grupo apresenta também as pesquisas realizadas nos últimos dois anos de atuação e um pouco do trabalho atual, sobre a sincronia do espaço não convencional (fora do teatro convencional), do “não espaço” (da rede) e o remix em peças criadas especialmente para a transmissão pela internet. Após o ensaio aberto debate com o autor, atores e diretor.
Convidados: Sérgio Roveri, Lourenço Mutarelli, Zeca Bittercourt, Zemanuel Piñero, Lucas Pretti, Nelson Kao e Renata Jesion, do Teatro Para Alguém, como mediadores.

Dia 18 de fevereiro - O Teatro e seus espaços: tradicionais, não convencionais e virtuais.
Horário: 19h30 às 21h30
Descrição: Debate
Convidados: Antônio Araújo, José Fernando de Azevedo, Marcelo Lazaratto, e o Grupo Teatro Para Alguém.

Serviço
Workshop Teatro em Conexão
Número de vagas: 30 participantes
Inscrições: deverão ser feitas pessoalmente na própria oficina até 10 de fevereiro
Seleção: levar currículo
Local: Oficina Oswald de Andrade
Telefone: (11) 3221-5558 / 3222-2662
Endereço: Rua Três Rios, 363, Bom Retiro, São Paulo

 
Quem puder, tenho certeza que vale a pena conferir.


Anselmo

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

JAMES ELLROY - Literatura de alta qualidade com marcas de sangue

Esta semana li que a edição de 2011 (acontece entre os dias 06 e 10 de julho) da Festa Literária Internacional de Paraty terá a ilustre presença de James Ellroy. O site da Flip não oficializa nada, mas parece que está tudo certo mesmo.

Boa oportunidade para recomendar este escritor norte-americano que é considerado como o mestre da literatura policial contemporânea.

Crimes e assassinos são com ele mesmo. Se você curte este tipo de história e ainda não manteve contato com nenhum livro deste cara, não vacile, pode ir atrás.

Seu estilo beira a reportagem policial, possui uma série de detalhes, a narrativa é simples, porém densa. Dá para perceber que ele estuda e entende do assunto.

Pouco complexo, é verdade, Ellroy é daqueles autores gostosos de ler. O tipo de autor que escreve livros para serem digeridos sem muito esforço, mas com a qualidade dos bons filmes policiais. Aliás, duas de suas obras foram adaptadas para o cinema com relativo sucesso. "Dália Negra" e "Los Angeles - Cidade Proibida" são bons exemplos do tipo de história que James Ellroy conta.

Do que li, destaco "Tablóide Americano" e o já citado "Los Angeles, Cidade Proibida". Para quem quiser uma amostra mais variada de seu estilo, uma boa pedida é "Onda de Crimes", uma coletânea que mistura contos ficcionais com ensaios que analisam crimes reais (o caso O.J. Simpsom, por exemplo) publicados originalmente na revista GQ. Dentro deste livro, encontramos o conto "O Assassino de minha mãe", onde Ellroy escreve de forma brilhante sobre o espinhoso tema que é o caso não solucionado do asassinato de sua mãe quando ele ainda tinha 10 anos.

Depois de ler alguma obra de ficção dele, torna-se obrigatório sua autobiografia intitulada "Meus Lugares Escuros". Livro maravilhoso, onde o real James Ellroy nos mostra que ele mesmo poderia ser um personagem de mão cheia para qualquer obra de ficção de qualidade.

É isso. Se Ellroy vier mesmo ao Brasil este ano será uma ótima oportunidade para uma maior divulgação de seu trabalho, além de quem sabe motivar a editora a relançar alguns de seus livros que encontram-se foram de catálogo atualmente.

De novo, gosta do gênero policial? James Ellroy é obrigatório.


Sandro

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

THE BAWDIES - Revival Rock Japones


Quando o assunto é Rock´n´Roll tem sempre um tema que apesar de “piegas” está sempre nos grupos de discussão: “Qual o melhor artista de todos os tempos?”

Os mais diversos são postos em pauta, e quanto mais o tempo vai passando, mais nomes são considerados. Por isso quando um grupo de jovens, na faixa de idade de 20 e poucos anos, declaram que entre os seus preferidos estão Chuck Berry, Otis Redding e Jerry Lee Lewis, com certeza coisa boa tem aí!

O mais incrível ainda é quando esse grupo, composto por jovens japoneses, decidem formar um grupo de rock, cantar em inglês, e detonar um som vindo direto dos anos 60, mas com todo aparato do século XXI.

Esse é o Bawdies formado por Roy (baixo e voz), Taxman (guitarra), Jim (Guitarra), Marcy (Bateria). O som da banda tem como alicerce um “blues rock”, mas parece também como se fosse uma “banda tributo” aos conjuntos do início do “rock show business”.

O primeiro álbum da banda “Yesterday and Today” saiu em 2006, esse trabalho tem muitas canções “cover” como: “Have mercy miss percy”, “I got you (I feel good)”, “I'm down” e “Tutti frutti”. Não se esqueçam que estamos falando de uma banda “japonesa”!

Na sequencia os álbuns foram “Awaking of Rhythm And Blues”(2008), “This is My Story” (2009) e o mais recente “There´s No Turning Back” (2010).

O líder e mentor da banda Ryo "Roy" Watanabe, apesar de sua potente voz com timbre “a lá Sam Cooke” precisa tomar cuidado com as baladas românticas, pra não cair numa “armadilha pop melosa” que apesar do retorno financeiro instantâneo, acaba com a credibilidade de qualquer banda.

Bom, resumindo, a banda é boa, diversão garantida, podem “botar pra rolar” que vale a pena.


Anselmo






terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

ESTAMOS DE VOLTA - RESOLUÇÕES DE ANO NOVO

Pois é, retornamos hoje com as atividades do Minerva Pop depois de um merecido e necessário período de férias (só aqui no blog, diga-se).

E neste primeiro post oficial do ano (o anterior foi só para prorrogar as férias...) vou atacar com uma listinha de resoluções e metas para 2011.

Já escrevi outras vezes que tratamos o blog como uma espécie de arquivo/ acervo onde depositamos nossas opiniões, vídeos e músicas que gostamos, notícias que achamos interessantes, agendas, lembretes, etc. A diferença é que tudo isso fica aberto para visitação pública, felizmente por bastante gente.

Considerando esta forma de enxergar o Minerva Pop, é que decidi compartilhar com vocês o que pretendemos fazer por aqui em 2011. Como toda boa lista de resoluções de ano novo, muita coisa ficará pendente, porém entendo que se conseguirmos colocar em prática ao menos algumas idéias, este blog ficará menos ruim...

Então vamos lá. A relação não está em ordem de prioridades. Servirá mesmo para que nos lembremos do que desejamos fazer por aqui durante este ano.
  • Sentar para escrever os posts com um dia de antecedência ou pelo menos antes das 23:00 horas. Acreditem, isso seria inverter quase que por completo o processo de criação atual do blog. Se conseguirmos isso, teremos apenas a ganhar. Iremos dormir mais cedo, escreveremos um pouco melhor (menos pressão para acabar rápido) e talvez até tenhamos tempo para uma revisão nos textos, hehehe. É amigos, revisar um post finalizados as 2:00 da madrugada não é das tarefas mais fáceis. Na maioria das vezes, é só uma olhada e vai! Depois fica aquela sensação de que poderia ter saído melhor, mas aí já foi.... (até letra faltando, aparece depois).
  • Definir a regularidade com que publicaremos os posts. Não se trata de engessar a coisa. Seria apenas uma forma de nos programarmos melhor durante a semana. Podemos continuar com o objetivo de postagens diárias (altamente desgastante), optarmos por 3 vezes a cada semana ou ainda um meio termo. Posts longos, ficam 48 horas, posts curtos 24. Nos finais de semana, salvo algo muito urgente, devido a redução considerável no número de visitantes acho que não vale a pena.
  • Instituir de forma definitiva os chamados guests posts. Temos alguns exemplos (leia aqui) espalhados pelo blog, mas a idéia é trabalhar mais com este formato. Queremos publicar textos de pessoas que conhecemos e que podem escrever com maior propriedade do que a gente sobre determinados assuntos. Sobre Ramones e Kubrick, deixa que eu escrevo....
  • Instituir o "dia da lista". Pode ser semanal ,quinzenal, mensal, sei lá. Na verdade seriam posts rápidos, "pré-fabricados" que solucionam qualquer falta de inspiração ou de tempo para postagens. Claro, seria também uma forma de compartilharmos com vocês nossas preferências de forma mais veemente através desta gostosa brincadeira de listas.
  • Pensar numa forma de melhorar a organização dos atalhos do blog. Hoje estão divididos por tópicos mais amplos (Gotas Maiores, ao lado esquerdo) e pelo marcador específico (Gotas em Detalhes, também ao lado). Quero estudar uma forma que facilite ainda mais a navegação.
  • Consolidar o uso da feramenta "linkwithin", instalada neste últiimo final de semana. A cada nova postagem, são sugeridos 3 outros posts que possivelmente o leitor venha a curtir em caso de ter gostado do texto que leu. Ainda não estou convencido da eficácia disso.
  • Oficializar o domínio próprio (já registrado) e deixá-lo operando em paralelo ao blogspot.
  • Fazer uma varredura nos posts para identificar a existência de links de vídeos do Youtube "quebrados". Depois disso, providenciar a troca.
  • Separar todos os posts onde usamos o player de música SKRreemR (site inativo, leia aqui) e trocar esta mídia pelo tocador do SoundCloud. Parece fácil, mas vai dar um trabalho...
  • Testar um lay out ainda mais leve. Um fundo branco, talvez. A idéia é que a página seja carregada de forma mais rápida. Recebemos muitas visitas via Google com duração de 00:00:00. Isso não é rejeição. Simplesmente quer dizer que a pessoa ia entrar, a página demorou para abrir e ela retornou ao Google para fazer outra pesquisa.
  • Testar uma aplicação de caixa de textos (estilo chat). Eu disse testar! Seria preciso que esta ferramenta não tornasse mais lento o carregamento do site. Difícil.
  • Criar uma versão mobile do Minerva Pop. Esta não é difícil e servirá pelo menos para mim que muitas vezes consulto o blog acessando-o via celular.
  • Aplicar a abertura de links em outra janela. É básico, mas preciso fazer.
  • Participar dos diretórios de blogs em que somos cadastrados. Sites como o Dihitt, Top Blog, Central Blogs, Blog Blogs e o Paper Blog nos geram muitas visitas. Precisamos interagir mais com outros blogs cadastrados nestes mesmos ambientes.
  • Participar mais dos blogs dos nossos parceiros. Visitamos vários blogs que gostamos (lista ao lado direito), mas temos deixados poucos comentários. E se você quiser fazer um blogueiro feliz, comente os posts. Queremos estar mais presentes.
  • Inserir novas indicações de links para blogs que conhecemos recentemente e que vale a pena indicar aos nossos leitores.
  • Estudar a viabilidade de criar um link para uma conta no 4Shared onde deixaríamos disponíveis os sons que comentamos aqui para a galera poder baixar. É preciso pensar nas implicações desta ação, visto que não estou a fim de ficar recebendo comunicados do Blogger com ameaças de tirar o Minerva Pop do ar (entenda mais, lendo aqui). 
  • Trabalhar com nosso canal dentro do Youtube, disponibilizando vídeos próprios de shows que assistimos.
  • Pensar também em usar o canal no Youtube para legendarmos alguns de nossos vídeos preferidos. É uma idéia antiga que tenho e que pode ser útil para muita gente.
  • Contribuir pelo menos mensalmente com o blog coletivo Mínimo Ajuste (conheça aqui) o qual fazemos parte, mas vergonhosamente estamos sempre ausentes.
Somente tudo isso. Fácil, né? No final do ano eu leio de novo esta lista para ver o que saiu do papel.

Para fechar, deixo abaixo a música "The New Year" da fantástica banda Death Cab For Cutie (mais aqui). A letra, contraditória com deve ser.


Sandro


Death Cab For Cutie - The New Year by sinstone

So this is the new year.
And i don't feel any different.
The clanking of crystal
Explosions off in the distance (in the distance).

So this is the new year
And I have no resolutions
For selfl assigned penance
For problems with easy solutions

So everybody put your best suit or dress on
Let's make believe that we are wealthy for just this once
Lighting firecrackers off on the front lawn
As thirty dialogues bleed into one

I wish the world was flat like the old days
Then i could travel just by folding a map
No more airplanes, or speedtrains, or freeways
There'd be no distance that can hold us back.

There'd be no distance that could hold us back

So this is the new year

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...