minervapop

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

ELEIÇÕES 2010 - VIVA A DEMOCRACIA!


Nós do Minerva Pop não podíamos deixar de celebrar mais um momento único e histórico em nosso país, novamente temos eleições diretas.

O ponto aqui não é para falar desse ou daquele candidato, mas sim da sublime liberdade de podermos escolher nossos representantes e governantes. Ato esse que para muitos era um sonho impossível, e para alguns uma realidade sangrenta.

Aproveitando esse momento de glória e celebração da democracia em todo território nacional, gostaria de convidá-los a refletir em todo caminho “árduo” que foi trilhado por nós para podermos passar alguns segundos dentro de um espaço “reservado” e decidirmos o nosso voto.

Para tanto, temos muitas fontes e recursos para pesquisar nossa história política, porém, como somos um Blog de entretenimento, gostaria de sugerir alguns filmes que contam um pouco essa saga brasileira de luta e perseverança. Aqui vão eles:

Rio, 40 graus – filme de 1955,com roteiro e direção de Nelson Pereira dos Santos. É considerada a pedra fundamental do cinema novo (movimento cultural que pretendia mostrar a realidade brasileira). Censurado pelos militares, pois segundo o censor e chefe de polícia da época, "a média da temperatura do Rio nunca passou dos 39,6°C".


Terra em Transe – filme de 1967, com direção e roteiro do cineasta Glauber Rocha, mostra situações e semelhanças intensionais com as do Brasil no início dos anos 1960 que levou à ditadura militar.

Pra frente, Brasil - filme de 1982, dirigido e escrito por Roberto Farias, e estrelado por Reginaldo Faria, Antônio Fagundes, Natália do Valle e Elizabeth Savalla, foi um dos primeiros filmes a retratar a repressão da ditadura militar brasileira (1964 - 1985) de forma explícita.


Ação entre Amigos - filme de 1998, dirigido por Beto Brant. A história se passa 25 anos após o fim do regime militar no Brasil, onde quatro ex-guerrilheiros se reúnem para se vingarem do homem que os torturou na década de 1970.


Cabra-cega - filme de 2005, dirigido por Toni Venturi, que narra a história de dois jovens militantes da luta armada, que sonham com uma revolução social no Brasil. Porém, após ser ferido por um tiro, em uma emboscada feita pela polícia, Tiago precisa se esconder na casa de Pedro, um simpatizante da guerrilha.

O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias - filme de 2006, dirigido por Cao Hamburger. Em 1970, Mauro é um garoto de doze anos, que adora futebol e jogo de botão. Um dia, sua vida muda completamente, já que seus pais saem de férias de forma inesperada e sem motivo aparente para ele. Na verdade, os pais de Mauro foram obrigados a fugir por serem militantes da esquerda, os quais eram perseguidos pela ditadura militar, e por essa razão decidiram deixá-lo com o avô paterno.

Zuzu Angel - filme brasileiro de 2006, dirigido por Sérgio Rezende e produção de Joaquim Vaz de Carvalhoe Heloísa Rezende. Conta a história da estilista Zuzu Angel que teve seu filho torturado e assassinado pela ditadura militar. Ela também foi morta em um acidente de carro forjado pelos militantes do exército ditatorial em 1976.


Batismo de Sangue - filme brasileiro de 2007, dirigido porta Helvécio Ratton, é baseado no livro homônimo de Frei Betto lançado originalmente no ano de 1983. Na cidade de São Paulo, no final da década de 1960, o convento dos frades dominicanos torna-se uma das resistências à ditadura militar . Movidos por ideais cristãos, os freis "Tito", "Betto", "Oswaldo", "Fernando" e "Ivo", passam a apoiar o grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional, comandado à época por Carlos Marighella. A prisão, tortura e submissão sofridas por eles são impressionantes. O Filme é uma mensagem e repúdio a toda e qualquer tipo de repressão ao pensamento livre.


Os filmes citados acima são uma pequena amostra da rica obra cinematográfica sobre a história política nacional.


Nas pesquisas sobre o tema na Internet, encontrei uma lista com 141 Filmes Nacionais Que Abordam Temas Políticos Brasileiros elaborada pelo Sr. Carlos Luiz Strapazzon, Professor de Ciência e Política, de Curitiba. Conforme segue:



Regime autoritário de 1964



1. Zuzu Angel (2006)

2. O ano em que meus pais saíram de férias (2006)

3. Hércules 56 (2006)

4. O Sol – caminhando contra o vento (2006)

5. Quase dois irmãos (2005)

6. Vlado - 30 anos depois (2005)

7. Cabra cega (2004)

8. Tempo de resistência (2004)

9. Cartas da mãe (2003)

10. Araguaya - a conspiração do silêncio (2003)

11. No olho do furacão (2002)

12. Barra 68 (2000)

13. Marighella - retrato falado do guerrilheiro (1999)

14. Palestina do norte: o Araguaia passa por aqui (1998)

15. Ação entre amigos (1998)

16. O que é isso, companheiro? (1997)

17. Vala comum (1994)

18. A dívida da vida (1992)

19. Que bom te ver viva (1989)

20. Primeiro de abril (1989)

21. PSW - Uma crônica subversiva (1988)

22. Nunca fomos tão felizes (1984)

23. O evangelho segundo Teotônio (1984)

24. Prá frente Brasil (1982)

25. República dos assassinos (1979)

26. Paula - a história de uma subversiva (1979)

27. O bom burguês (1978)

28. Manhã cinzenta (1969)

29. Do Brasil para o mundo (1967)

30. Oito universitários (1967)

31. O desafio (1965)



Biográficos


1. Dom Helder Câmara - o santo rebelde (2006)

2. O Profeta das águas (2005)

3. Raízes do Brasil (2004)

4. Gregório de Mattos (2002)

5. JK: O menino que sonhou um país (2002)

6. O homem que queria ser Presidente (2001)

7. Mauá, o imperador e o rei (1999)

8. Tiradentes (1998)

9. O velho (1997)

10. Castro Alves – retrato falado do poeta (1997)

11. Lamarca (1994)

12. Carlota Joaquina, princesa do Brasil (1994)

13. O país dos tenentes (1987)

14. Eternamente Pagu (1987)

15. Chico Rei (1986)

16. Céu aberto (1985)

17. De Pernambuco falando para o mundo (1982)

18. Jânio a 24 Quadros (1981)

19. Jango (1981)

20. Os anos JK (1980)

21. Dr. Heráclito Fontoura Sobral Pinto - profissão advogado (1978)

22. Ganga Zumba (1964)


Guerras, rebeliões ou conflitos violentos locais

1. O preço da paz (2003)

2. A paixão de Jacobina (2001)

3. Brava gente brasileira (2001)

4. Netto perde sua alma (2001)

5. Senta a pua! (2000)

6. Guerra de Canudos (1997)

7. For all - O trampolim da vitória (1997)

8. A matadeira (1994)

9. A República dos anjos (1992)

10. Desterro (1992)

11. Guerra do Brasil (1987)

12. Fronteiras de sangue (1987)

13. Caldeirão de Santa Cruz do Deserto (1986)

14. Quilombo (1984)

15. A herança das idéias (1982)

16. Batalha dos Guararapes (1978)

17. Os Mucker: o massacre da seita do ferrabrás (1978)

18. Ajuricaba, o rebelde da Amazônia (1977)

19. Os inconfidentes (1972)

20. Independência ou morte (1972)

21. Os fuzis (1964)

22. O descobrimento do Brasil (1937)


Violência urbana, injustiça social, ausência de Estado



1. Quanto vale ou é por quilo (2005)

2. Cidade de Deus (2002)

3. Cronicamente inviável (2000)

4. Terra estrangeira (1995)

5. Brincando nos campos do senhor (1991)

6. Uma avenida chamada Brasil (1989)

7. Os donos da terra (1988)

8. Uma questão de terra (1988)

9. Rei do Rio (1986)

10. Anjos do arrabalde - as professoras (1986)

11. Avaeté, semente da vingança (1985)

12. Pixote - a lei do mais fraco (1981)

13. O homem que virou suco (1980)

14. Brasília: contradições de uma cidade nova (1967)

15. Proezas de Satanás na Vila do Leva-e-Traz (1967)


Ideologias, engajamento, alienação


1. O cão louco Mário Pedrosa (1993)

2. Quarup (1989)

3. Encontro com Prestes (1987)

4. Avante camaradas (1986)

5. Patriamada (1985)

6. Nada será como antes, nada? (1984)

7. Eh, Pagu, eh! (1982)

8. Teu tua (1980)

9. Tudo bem (1978)

10. Libertários (1976)

11. O bravo guerreiro (1968)

12. Brasil ano 2000 (1968)

13. Lance maior (1968)



Trabalhadores na política



1. Peões (2004)

2. O sonho de Rose, dez anos depois (2000)

3. Jenipapo (1996)

4. Terra para Rose (1987)

5. Cabra marcado para morrer (1984)

6. Linha de montagem (1982)

7. Eles não usam black-tie (1981)

8. A primeira Conclat (1981)

9. ABC da greve (1980)

10. Braços cruzados, máquinas paradas (1979)



Regime de Getúlio Vargas



1. Olga (2004)

2. Salvar o Brasil (1987)

3. Memórias do cárcere (1984)

4. Parahyba, mulher macho (1983)

5. Revolução de 30 (1980)

6. Homem de areia (sem rir sem chorar) (1976)

7. Getúlio Vargas (1974)

8. O caso dos irmãos Naves - Baseado na novela homônima de João Alamy Filho (1967)

9. Getúlio: glória e drama de um povo (1956)




Costumes e cultura política



1. Histórias do poder: cem anos de política no Brasil (2005)

2. Policarpo Quaresma, herói do Brasil (1988)

3. O homem da capa preta (1986)

4. A idade da Terra (1980)

5. Terra em Transe (1967)

6. Blá...Blá... Blá... (1967)



Mandonismo local



1. A terceira morte de Joaquim Bolívar (1999)

2. O tronco (1999)

3. Pindorama (1971)

4. Maranhão 66 (1966)


Campanhas eleitorais



1. Vocação do poder (2005)

2. Entreatos (2004)

3. Doces poderes (1996)

4. Muda Brasil (1985)



Instituições públicas



1. Justiça – o filme (2004)

2. Carandiru (2003)

3. O prisioneiro da máscarade ferro (2003)



Igreja e política



1. Batismo de sangue (2006)

2. Igreja dos oprimidos (1986)

Abaixo deixo alguns trailers dessas obras do cinema nacional.



Anselmo





ELEIÇÕES 2010 - VIVA A DEMOCRACIA!


Nós do Minerva Pop não podíamos deixar de celebrar mais um momento único e histórico em nosso país, novamente temos eleições diretas.

O ponto aqui não é para falar desse ou daquele candidato, mas sim da sublime liberdade de podermos escolher nossos representantes e governantes. Ato esse que para muitos era um sonho impossível, e para alguns uma realidade sangrenta.

Aproveitando esse momento de glória e celebração da democracia em todo território nacional, gostaria de convidá-los a refletir em todo caminho “árduo” que foi trilhado por nós para podermos passar alguns segundos dentro de um espaço “reservado” e decidirmos o nosso voto.

Para tanto, temos muitas fontes e recursos para pesquisar nossa história política, porém, como somos um Blog de entretenimento, gostaria de sugerir alguns filmes que contam um pouco essa saga brasileira de luta e perseverança. Aqui vão eles:

Rio, 40 graus – filme de 1955,com roteiro e direção de Nelson Pereira dos Santos. É considerada a pedra fundamental do cinema novo (movimento cultural que pretendia mostrar a realidade brasileira). Censurado pelos militares, pois segundo o censor e chefe de polícia da época, "a média da temperatura do Rio nunca passou dos 39,6°C".


Terra em Transe – filme de 1967, com direção e roteiro do cineasta Glauber Rocha, mostra situações e semelhanças intensionais com as do Brasil no início dos anos 1960 que levou à ditadura militar.

Pra frente, Brasil - filme de 1982, dirigido e escrito por Roberto Farias, e estrelado por Reginaldo Faria, Antônio Fagundes, Natália do Valle e Elizabeth Savalla, foi um dos primeiros filmes a retratar a repressão da ditadura militar brasileira (1964 - 1985) de forma explícita.


Ação entre Amigos - filme de 1998, dirigido por Beto Brant. A história se passa 25 anos após o fim do regime militar no Brasil, onde quatro ex-guerrilheiros se reúnem para se vingarem do homem que os torturou na década de 1970.


Cabra-cega - filme de 2005, dirigido por Toni Venturi, que narra a história de dois jovens militantes da luta armada, que sonham com uma revolução social no Brasil. Porém, após ser ferido por um tiro, em uma emboscada feita pela polícia, Tiago precisa se esconder na casa de Pedro, um simpatizante da guerrilha.

O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias - filme de 2006, dirigido por Cao Hamburger. Em 1970, Mauro é um garoto de doze anos, que adora futebol e jogo de botão. Um dia, sua vida muda completamente, já que seus pais saem de férias de forma inesperada e sem motivo aparente para ele. Na verdade, os pais de Mauro foram obrigados a fugir por serem militantes da esquerda, os quais eram perseguidos pela ditadura militar, e por essa razão decidiram deixá-lo com o avô paterno.

Zuzu Angel - filme brasileiro de 2006, dirigido por Sérgio Rezende e produção de Joaquim Vaz de Carvalhoe Heloísa Rezende. Conta a história da estilista Zuzu Angel que teve seu filho torturado e assassinado pela ditadura militar. Ela também foi morta em um acidente de carro forjado pelos militantes do exército ditatorial em 1976.


Batismo de Sangue - filme brasileiro de 2007, dirigido porta Helvécio Ratton, é baseado no livro homônimo de Frei Betto lançado originalmente no ano de 1983. Na cidade de São Paulo, no final da década de 1960, o convento dos frades dominicanos torna-se uma das resistências à ditadura militar . Movidos por ideais cristãos, os freis "Tito", "Betto", "Oswaldo", "Fernando" e "Ivo", passam a apoiar o grupo guerrilheiro Ação Libertadora Nacional, comandado à época por Carlos Marighella. A prisão, tortura e submissão sofridas por eles são impressionantes. O Filme é uma mensagem e repúdio a toda e qualquer tipo de repressão ao pensamento livre.


Os filmes citados acima são uma pequena amostra da rica obra cinematográfica sobre a história política nacional.


Nas pesquisas sobre o tema na Internet, encontrei uma lista com 141 Filmes Nacionais Que Abordam Temas Políticos Brasileiros elaborada pelo Sr. Carlos Luiz Strapazzon, Professor de Ciência e Política, de Curitiba. Conforme segue:



Regime autoritário de 1964



1. Zuzu Angel (2006)

2. O ano em que meus pais saíram de férias (2006)

3. Hércules 56 (2006)

4. O Sol – caminhando contra o vento (2006)

5. Quase dois irmãos (2005)

6. Vlado - 30 anos depois (2005)

7. Cabra cega (2004)

8. Tempo de resistência (2004)

9. Cartas da mãe (2003)

10. Araguaya - a conspiração do silêncio (2003)

11. No olho do furacão (2002)

12. Barra 68 (2000)

13. Marighella - retrato falado do guerrilheiro (1999)

14. Palestina do norte: o Araguaia passa por aqui (1998)

15. Ação entre amigos (1998)

16. O que é isso, companheiro? (1997)

17. Vala comum (1994)

18. A dívida da vida (1992)

19. Que bom te ver viva (1989)

20. Primeiro de abril (1989)

21. PSW - Uma crônica subversiva (1988)

22. Nunca fomos tão felizes (1984)

23. O evangelho segundo Teotônio (1984)

24. Prá frente Brasil (1982)

25. República dos assassinos (1979)

26. Paula - a história de uma subversiva (1979)

27. O bom burguês (1978)

28. Manhã cinzenta (1969)

29. Do Brasil para o mundo (1967)

30. Oito universitários (1967)

31. O desafio (1965)



Biográficos


1. Dom Helder Câmara - o santo rebelde (2006)

2. O Profeta das águas (2005)

3. Raízes do Brasil (2004)

4. Gregório de Mattos (2002)

5. JK: O menino que sonhou um país (2002)

6. O homem que queria ser Presidente (2001)

7. Mauá, o imperador e o rei (1999)

8. Tiradentes (1998)

9. O velho (1997)

10. Castro Alves – retrato falado do poeta (1997)

11. Lamarca (1994)

12. Carlota Joaquina, princesa do Brasil (1994)

13. O país dos tenentes (1987)

14. Eternamente Pagu (1987)

15. Chico Rei (1986)

16. Céu aberto (1985)

17. De Pernambuco falando para o mundo (1982)

18. Jânio a 24 Quadros (1981)

19. Jango (1981)

20. Os anos JK (1980)

21. Dr. Heráclito Fontoura Sobral Pinto - profissão advogado (1978)

22. Ganga Zumba (1964)


Guerras, rebeliões ou conflitos violentos locais

1. O preço da paz (2003)

2. A paixão de Jacobina (2001)

3. Brava gente brasileira (2001)

4. Netto perde sua alma (2001)

5. Senta a pua! (2000)

6. Guerra de Canudos (1997)

7. For all - O trampolim da vitória (1997)

8. A matadeira (1994)

9. A República dos anjos (1992)

10. Desterro (1992)

11. Guerra do Brasil (1987)

12. Fronteiras de sangue (1987)

13. Caldeirão de Santa Cruz do Deserto (1986)

14. Quilombo (1984)

15. A herança das idéias (1982)

16. Batalha dos Guararapes (1978)

17. Os Mucker: o massacre da seita do ferrabrás (1978)

18. Ajuricaba, o rebelde da Amazônia (1977)

19. Os inconfidentes (1972)

20. Independência ou morte (1972)

21. Os fuzis (1964)

22. O descobrimento do Brasil (1937)


Violência urbana, injustiça social, ausência de Estado



1. Quanto vale ou é por quilo (2005)

2. Cidade de Deus (2002)

3. Cronicamente inviável (2000)

4. Terra estrangeira (1995)

5. Brincando nos campos do senhor (1991)

6. Uma avenida chamada Brasil (1989)

7. Os donos da terra (1988)

8. Uma questão de terra (1988)

9. Rei do Rio (1986)

10. Anjos do arrabalde - as professoras (1986)

11. Avaeté, semente da vingança (1985)

12. Pixote - a lei do mais fraco (1981)

13. O homem que virou suco (1980)

14. Brasília: contradições de uma cidade nova (1967)

15. Proezas de Satanás na Vila do Leva-e-Traz (1967)


Ideologias, engajamento, alienação


1. O cão louco Mário Pedrosa (1993)

2. Quarup (1989)

3. Encontro com Prestes (1987)

4. Avante camaradas (1986)

5. Patriamada (1985)

6. Nada será como antes, nada? (1984)

7. Eh, Pagu, eh! (1982)

8. Teu tua (1980)

9. Tudo bem (1978)

10. Libertários (1976)

11. O bravo guerreiro (1968)

12. Brasil ano 2000 (1968)

13. Lance maior (1968)



Trabalhadores na política



1. Peões (2004)

2. O sonho de Rose, dez anos depois (2000)

3. Jenipapo (1996)

4. Terra para Rose (1987)

5. Cabra marcado para morrer (1984)

6. Linha de montagem (1982)

7. Eles não usam black-tie (1981)

8. A primeira Conclat (1981)

9. ABC da greve (1980)

10. Braços cruzados, máquinas paradas (1979)



Regime de Getúlio Vargas



1. Olga (2004)

2. Salvar o Brasil (1987)

3. Memórias do cárcere (1984)

4. Parahyba, mulher macho (1983)

5. Revolução de 30 (1980)

6. Homem de areia (sem rir sem chorar) (1976)

7. Getúlio Vargas (1974)

8. O caso dos irmãos Naves - Baseado na novela homônima de João Alamy Filho (1967)

9. Getúlio: glória e drama de um povo (1956)




Costumes e cultura política



1. Histórias do poder: cem anos de política no Brasil (2005)

2. Policarpo Quaresma, herói do Brasil (1988)

3. O homem da capa preta (1986)

4. A idade da Terra (1980)

5. Terra em Transe (1967)

6. Blá...Blá... Blá... (1967)



Mandonismo local



1. A terceira morte de Joaquim Bolívar (1999)

2. O tronco (1999)

3. Pindorama (1971)

4. Maranhão 66 (1966)


Campanhas eleitorais



1. Vocação do poder (2005)

2. Entreatos (2004)

3. Doces poderes (1996)

4. Muda Brasil (1985)



Instituições públicas



1. Justiça – o filme (2004)

2. Carandiru (2003)

3. O prisioneiro da máscarade ferro (2003)



Igreja e política



1. Batismo de sangue (2006)

2. Igreja dos oprimidos (1986)

Abaixo deixo alguns trailers dessas obras do cinema nacional.



Anselmo





terça-feira, 28 de setembro de 2010

BIENAL DE SÃO PAULO - VALE A PENA

Hoje vou deixar uma dica de passeio por aqui. Considerado sofisticado demais para alguns, frescura demais para outros, conheço muita gente que nunca se interessou em conhecer. Mas é muito bacana e de graça.

Estou falando da Bienal de Artes de São Paulo, que no último dia 25 teve aberta sua 29ª edição.

Reconhecidamente um dos mais importantes eventos no cenário artístico mundial, a Bienal de São Paulo sempre teve por tradição expor tanto nomes mais consagrados quanto novas tendências internacionais e brasileiras.

Este ano serão cerca de 160 artistas de diversas partes do mundo, exibindo um total de 850 obras. A diferença, uma grande diferença de conceito, é que a organização não mais será feita nos moldes do que se chamava representações nacionais. Os artistas brasileiros estarão inseridos por todo o ambiente do pavilhão.

Para quem nunca foi posso garantir que é uma experiência muito interessante e uma grande oportunidade para os leigos que como eu não estão antenados com o que rola neste meio e tem num único lugar a chance de se aproximar deste tipo de cultura. São variadas formas de expressão e certamente muitas vão fazer a sua cabeça.

Como tema central deste ano, a Bienal quer abordar as relações entre arte e política e leva o título de "Há sempre um copo de mar para um homem navegar", trecho de um poema de Jorge de Lima.

De novo, recomendo muito.

Abaixo mais informações:
Local:
Parque do Ibirapuera · Portã​o 3
Pavilhão Ciccillo Matarazzo (Pavilhão da Bienal)
São Paulo

Horários de funcionamento
De 2ª a 4ª feira das 9 às 19h
5ª e 6ª feira das 9 às 22h
Sábado e domingo das 9 às 19h
(entrada admitida até uma hora antes do fechamento)

Período:
De 25 de setembro a 12 de dezembro

A meta é audaciosa e eles querem colocar 1 milhão de pessoas. Considerando que a entrada é gratuita, o desafio é despertar o interesse popular. Vai lá!


Sandro

BIENAL DE SÃO PAULO - VALE A PENA

Hoje vou deixar uma dica de passeio por aqui. Considerado sofisticado demais para alguns, frescura demais para outros, conheço muita gente que nunca se interessou em conhecer. Mas é muito bacana e de graça.

Estou falando da Bienal de Artes de São Paulo, que no último dia 25 teve aberta sua 29ª edição.

Reconhecidamente um dos mais importantes eventos no cenário artístico mundial, a Bienal de São Paulo sempre teve por tradição expor tanto nomes mais consagrados quanto novas tendências internacionais e brasileiras.

Este ano serão cerca de 160 artistas de diversas partes do mundo, exibindo um total de 850 obras. A diferença, uma grande diferença de conceito, é que a organização não mais será feita nos moldes do que se chamava representações nacionais. Os artistas brasileiros estarão inseridos por todo o ambiente do pavilhão.

Para quem nunca foi posso garantir que é uma experiência muito interessante e uma grande oportunidade para os leigos que como eu não estão antenados com o que rola neste meio e tem num único lugar a chance de se aproximar deste tipo de cultura. São variadas formas de expressão e certamente muitas vão fazer a sua cabeça.

Como tema central deste ano, a Bienal quer abordar as relações entre arte e política e leva o título de "Há sempre um copo de mar para um homem navegar", trecho de um poema de Jorge de Lima.

De novo, recomendo muito.

Abaixo mais informações:
Local:
Parque do Ibirapuera · Portã​o 3
Pavilhão Ciccillo Matarazzo (Pavilhão da Bienal)
São Paulo

Horários de funcionamento
De 2ª a 4ª feira das 9 às 19h
5ª e 6ª feira das 9 às 22h
Sábado e domingo das 9 às 19h
(entrada admitida até uma hora antes do fechamento)

Período:
De 25 de setembro a 12 de dezembro

A meta é audaciosa e eles querem colocar 1 milhão de pessoas. Considerando que a entrada é gratuita, o desafio é despertar o interesse popular. Vai lá!


Sandro

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

THE ROCKY HORROR PICTURE SHOW - POP CULT MOVIE


Pegando um “gancho” dos “posts” sobre música pop, muito bem elaborados pelo meu parceiro de blog Sandro, gostaria de comentar sobre outro tipo de entretenimento pop, nesse caso os musicais.

Claro que, para o agrado de muitos que acompanham o cenário alternativo, inclusive o meu, esse tipo de espetáculo tem que apresentar algo peculiar, impactante. Talvez o fato desse musical, que estreou em Londres em 1973, ainda estivesse ainda em cartaz na Cidade de Berlin? Ou que mantivesse um público fanático e interativo ainda em suas apresentações? Estou falando de “The Rocky Horror Picture Show”.

RHPS é uma comédia musical de horror , com canções de Richard O’Brien e direção de Jim Sharmam, que apesar de estrear no Royal Court Theatre em 1973 na cidade de Londres, foi a versão do cinema de 14 de agosto de 1975 com Tim Curry e Susan Sarandon que “explodiu” mundialmente (claro que lançado com 5 anos de atraso no Brasil, passou desapercebido pelo grande público).

O Filme é a uma adaptação cinematográfica de 1975 do “stageplay musical britânico” The Rocky Horror Picture Show. Podemos classificar como uma paródia de ficção científica e filmes de terror B. O diretor Jim Sharman junto com o roteiro original de Richard O'Brien trouxeram um impacto colorido para a telona. É um primeiros filmes terem suas sessões a partir da meia-noite, e ainda o primeiro a contar com a interação da platéia, isso nos anos 70.


A sinópse é “simples , ingenua e inusitada” como todo filme de terror que se preze: Após o casamento , os noivos saem em “lua-de-mel”, mas infelizmente no meio do caminho tem um problema com o carro. Nesse momento o casal de noivos se vêem obrigados a pedir ajuda aos moradores de um estranho castelo, sem saber que lá moram seres do planeta Transexual da Galáxia Transilvânia, onde o anfitrião é um cientista louco, travesti e bissexual conhecido como Dr. Frank-N-Furter, que pretende criar um homem especial em seu laboratório para uso “pessoal”.

Na verdade, apesar do entusiasmo com o qual escrevo esse “post”, o filme nunca foi um sucesso de público, mas é sim um marco “Cult” do cinema mundial, o qual rendeu algumas sequelas.

Dentre elas o álbum-tributo “The Rocky Horror Punk Rock Show”, onde várias bandas punk interpretam as músicas que fizeram parte da trilha sonora do filme, como "Science Fiction/Double Feature" (Me First and the Gimme Gimmes), "Sweet Transvestite" (Apocalypse Hoboken), "Planet, Schmanet, Janet" (Tsunami Bomb), dentre outros.

Também vale comentar que foi filmado em 1981 o filme “Shock-Treatment”,  com direção de Jim Sharman, que de certa forma tentou ser uma continuação de RHPS, mas claro nem sequer teve a mesma repercusão e importancia.

Bom pessoal, abaixo deixo o “trailer” do filme, e a versão punk the "Sweet Transvistite" Pra quem nunca viu, divirta-se. Pra quem conhece, vale a pena relembrar.

 

Anselmo


THE ROCKY HORROR PICTURE SHOW - POP CULT MOVIE


Pegando um “gancho” dos “posts” sobre música pop, muito bem elaborados pelo meu parceiro de blog Sandro, gostaria de comentar sobre outro tipo de entretenimento pop, nesse caso os musicais.

Claro que, para o agrado de muitos que acompanham o cenário alternativo, inclusive o meu, esse tipo de espetáculo tem que apresentar algo peculiar, impactante. Talvez o fato desse musical, que estreou em Londres em 1973, ainda estivesse ainda em cartaz na Cidade de Berlin? Ou que mantivesse um público fanático e interativo ainda em suas apresentações? Estou falando de “The Rocky Horror Picture Show”.

RHPS é uma comédia musical de horror , com canções de Richard O’Brien e direção de Jim Sharmam, que apesar de estrear no Royal Court Theatre em 1973 na cidade de Londres, foi a versão do cinema de 14 de agosto de 1975 com Tim Curry e Susan Sarandon que “explodiu” mundialmente (claro que lançado com 5 anos de atraso no Brasil, passou desapercebido pelo grande público).

O Filme é a uma adaptação cinematográfica de 1975 do “stageplay musical britânico” The Rocky Horror Picture Show. Podemos classificar como uma paródia de ficção científica e filmes de terror B. O diretor Jim Sharman junto com o roteiro original de Richard O'Brien trouxeram um impacto colorido para a telona. É um primeiros filmes terem suas sessões a partir da meia-noite, e ainda o primeiro a contar com a interação da platéia, isso nos anos 70.


A sinópse é “simples , ingenua e inusitada” como todo filme de terror que se preze: Após o casamento , os noivos saem em “lua-de-mel”, mas infelizmente no meio do caminho tem um problema com o carro. Nesse momento o casal de noivos se vêem obrigados a pedir ajuda aos moradores de um estranho castelo, sem saber que lá moram seres do planeta Transexual da Galáxia Transilvânia, onde o anfitrião é um cientista louco, travesti e bissexual conhecido como Dr. Frank-N-Furter, que pretende criar um homem especial em seu laboratório para uso “pessoal”.

Na verdade, apesar do entusiasmo com o qual escrevo esse “post”, o filme nunca foi um sucesso de público, mas é sim um marco “Cult” do cinema mundial, o qual rendeu algumas sequelas.

Dentre elas o álbum-tributo “The Rocky Horror Punk Rock Show”, onde várias bandas punk interpretam as músicas que fizeram parte da trilha sonora do filme, como "Science Fiction/Double Feature" (Me First and the Gimme Gimmes), "Sweet Transvestite" (Apocalypse Hoboken), "Planet, Schmanet, Janet" (Tsunami Bomb), dentre outros.

Também vale comentar que foi filmado em 1981 o filme “Shock-Treatment”,  com direção de Jim Sharman, que de certa forma tentou ser uma continuação de RHPS, mas claro nem sequer teve a mesma repercusão e importancia.

Bom pessoal, abaixo deixo o “trailer” do filme, e a versão punk the "Sweet Transvistite" Pra quem nunca viu, divirta-se. Pra quem conhece, vale a pena relembrar.

 

Anselmo


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...